sábado, 31 de maio de 2008

JOGOS RECREATIVOS

Tanto na infância como na adolescência e também na fase adulta é muito mais agradável e prazeroso realizar o aprendizado através de ações lúdicas: brincadeiras, recreações e jogos.
Essas atividades, além de fazerem com que o aprendizado se torne mais atraente, permitem a absorção dos conceitos que estão sendo repassados, facilitando, desse modo aprendizagem.
Os jogos, adaptados e adequados às características do público alvo, servirão como excelentes auxiliares no seu desenvolvimento físico, mental, social, emocional e moral. Contribuem ainda e decisivamente na construção do conhecimento.
Sejam livres ou dirigidos, a influência na vida daqueles que os utilizam será sempre de grande monta, porque são um excelente eio de se travar conhecimento e relacionamento com um mundo exterior e sua conseqüente adaptação à realidade.
Não sendo apenas um meio de diversão, devem ser considerados como recurso auxiliar para o desenvolvimento de habilidades necessárias a uma participação efetiva e eficiente, quer seja no relacionamento com os colegas, na cooperação grupal, quer no exercício de papéis, tanto principais como secundários, na obediência e recebimento de ordens, e no exercício da paciência.
Ao selecionar um jogo deve-se ter o cuidado de observar se existe adequação à faixa etária dos participantes, se o espaço físico disponível é suficiente para a atividade, se o material exigido se encontra preparado, se a atividade guarda relação com o conteúdo no qual está inserida e se atende ao objetivo proposto..
É importante ter presente que o jogo não deve ser uma atividade isolada e, sim, estar relacionado ao conteúdo abordado quando será agente de avaliação, fixação, introdução ou sondagem.
Os jogos recreativos sempre exerceram grande fascínio no ser humano, vindo, de século a século, aumentando o seu prestígio.
Ao longo da evolução humana, o lúdico tem contribuído decisivamente para a evolução dos seres e do processo ensino-aprendizagem, colaborando na construção da cultura das diversas raças povos e sociedades. As regras e limites estabelecidos para o desenvolvimento dos jogos e o atingimento de seus objetivos auxiliam na formação do caráter de maneira agradável, divertida, voluntária e consciente. O jogo recreativo permite que se estabeleça relação com o mundo, facilitando o entendimento e a adaptação do ser à realidade que o envolve.
Durante a infância, mas especificamente entre os 6 e 8 anos de idade, a educação é de fundamental importância para o ser, pois é justamente nesta fase que se consolidam os hábitos, atitudes,valores e esquemas mentais que delineiam e direcionam a constituição da personalidade.
O convívio social e o desenvolvimento de habilidades motoras são extremamente importantes para o crescimento físico e a evolução moral e espiritual da criança.
Nas muitas vezes em que as potencialidades não conseguem ser identificadas, o jogo recreativo pode ser o agente que irá auxiliar nas atividades relacionadas ao ensino-aprendizagem.
Deve-se ter em mente que, quando se aplica um jogo recreativo, produz-se nos jogadores uma excitação mental agradável. Ele deve, também, garantir e manter a espontaneidade dos participantes fixando-se o conceito de que o mais importante não é ganhar ou perder e, sim, participar.
Os jogos, quando utilizados de maneira correta e consciente, são muito eficientes para a fixação, a introdução e a transmissão do conhecimento de forma a atraente, motivadora e participativa

Um comentário:

digao disse...

boa noite ,meu nome é diego ,sou estudante de educação física e estou fazendo um mega trabalho sobre jogos recreativos ,gostaria de saber se teria como vcs estarem me auxiliando com algumas dicas sobre o assunto ,poderiam tbm estar me passando outras fontes sobre o mesmo.desde já agradeço e deixo meu email pessoal para que vcs possam interagir com esse tipo de assunto comigo,dnunes556@gmail.com,
atenciosamente Diego